A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Rose Rondeli


Rose Rondelli, a grande vedete da época de ouro do teatro de revista, nasceu no Rio de Janeiro em 1934. Começou a carreira como cantora da boate Monte Carlo, passou a corista e ingressou no Teatro Jardel na revista "Vai levando". Foi sucesso no programa "Miss Campeonato" e brilhou na TV Rio.

Rosemyr Rondelli atuou como vedete das revistas de bolso do Teatrinho Jardel em Copacabana e dos shows de Carlos Machado nas boates Monte Carlo e Casablanca, trabalhando ao lado de estrelas como Walter d'Ávila, Oscarito, Grande Otelo, Silva Filho, Rosita Lopes, Vagareza, entre outros. Na televisão mostrou seu lado de comediante brilhante, participando do humoristico "Noites Cariocas" em quadros famosos: o salão de cabeleireiro ao lado de Zélia Hoffman, Sandra Sandré, Isa Rodrigues e Antonio Carlos, e do famoso Café Bola Branca, onde cantava e dançava.

Foi muitas vezes eleita "Certinha do Lalau", concurso de beleza promovido pelo humorista Sergio Porto, o Stanislaw Ponte Preta que homenageava as mais belas atrizes e vedetes da época. Em 1984, "As Certinhas" foram tema de um musical que ficou em cartaz no horário alternativo do Teatro Rival, trazendo de volta ao palco, não só Rose, como Irma Alvarez, Maria Pompeo, Diana Morel, Anilza Leone, entre outras, sob a direção de Emilio de Biase. Rose atuou na chanchada "Quanto Mais Samba Melhor", dirigida por Carlos Manga.

Seu grande sucesso no rádio aconteceu no programa "Miss Campeonato", escrito por Sérgio Porto na Rádio Mayrink Veiga, em que era a própria Miss Campeonato, ao lado do colunista esportivo Ruy Porto e de um grande elenco de humoristas, como Zé Trindade, Germano, Apolo Correia, Duarte de Moraes e outros. Participou do "Chico Anysio Show" até se casar com o humorista e se retirar da carreira.

Quando Chico Anysio e Rose se conheceram, lá pelo final dos anos 50, Chico era um redator de rádio, muito respeitado no meio artístico mas pouco conhecido do público, já que a TV estava ainda engatinhando naquela época. Rose era a estrelaça, vedete de respeito das companhias de teatro de revista de Walter Pinto e Carlos Machado. Era uma mulher de literalmente parar o trânsito. Não era uma atriz excepcional – mesmo porque nunca se esforçou em ser – mas era uma artista de um carisma, presença e beleza muito fortes.

Foi casada duas vezes, sendo a primeira com o figurinista Carlos Gil, com quem teve o filho Duda Anisio (Músico) e a segunda com Chico Anysio, com quem teve dois filhos: o comediante Nizo Neto e o diretor de imagem Rico Rondelli. Faleceu vítima de insuficiência hepática decorrente de câncer de pulmão, aos 71 anos, em 1º de janeiro de 2005.

BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •