Roberta Miranda, nome artístico de Maria Albuquerque Miranda, nasceu em João Pessoa, Paraíba, no dia 28 de setembro de 1956. Roberta Miranda é uma das mais belas vozes femininas da atualidade. Sua potência vocal, sua voz aveludada e o perfeito domínio de impostação, fazem com que ver Roberta cantar nos faça acreditar que isso é simples e fácil. Muitas vezes injustiçada pelo preconceito devido ao seu repertório de início de carreira, Roberta Miranda prova que é uma cantora completa, que domina vários estilos musicais. É também excelente compositora ("Majestade o Sabiá", "Meu Dengo" e outras).

Tornou-se conhecida do público em 1985, quando Jair Rodrigues gravou sua composição "Sua Majestade, o Sabiá", que foi um sucesso enorme, vendendo quase um milhão de discos. No ano seguinte foi contratada pela gravadora Continental, pela qual gravou nove discos. Depois transferiu-se para a Polygram. Suas músicas são basicamente românticas e voltadas para o mercado sertanejo e brega, que na década de 90 tornou-se um fenômeno nacional. Em seu repertório há desde canções de Roberto Carlos até músicas de forró, além de muitas composições próprias.

Roberta veio com a família para São Paulo quando tinha oito anos. Aos 16 anos, ela foi contratada para abrir os shows do Beco e Jogral, na capital paulista, onde artistas como Fafá de Belém e Rosemary se apresentavam sob a direção de Abelardo Figueiredo ou Augusto César Vanucci. Roberta continuou em sua carreira de crooner, cantando em bares e casas noturnas por 14 anos até conseguir uma oportunidade junto às gravadoras. Como cantora, Roberta estreou na gravadora Continental com a música "São tantas coisas" como carro-chefe. Firmava-se no estrelato a talentosa Roberta Miranda. Hoje é a terceira cantora brasileira que mais vendeu discos, com 14,2 milhões de cópias, perdendo somente para a apresentadora Xuxa, que tem os discos mais voltados ao público infanto-juvenil (33 milhões) e Maria Bethânia (24,3 milhões).

"Sol da Minha Vida", do disco homônimo lançado no início da década de 1990, foi um sucesso radiofônico e de vendagem, cerca de 750 mil cópias. Além de peças e musicais, Bibi Ferreira também já assinou a direção de shows musicais. Elizeth Cardoso, Maria Bethânia e Clara Nunes já se apresentaram sob sua batuta. Agora, o nome da cantora Roberta Miranda aumenta essa lista. O show "Pele de Amor" traz no repertório as músicas do CD homônimo da cantora, o 16º de sua carreira. Sob a direção de Bibi Ferreira, o show ganhou um repertório mais "exigente", com composições de Noel Rosa, Ary Barroso e Pixinguinha, ao lado de músicas conhecidas do repertório da cantora como "Vá com Deus".

26/09/2013 - Roberta Miranda apanhava do irmão por cantar escondido
Ela é conhecida como a rainha do sertanejo e comemora 25 anos de carreira lançando um DVD cheio de sucessos. A cantora Roberta Miranda tomou café com Ana Maria Braga e falou sobre trabalho, dieta, sentimentos e ainda recordou momentos difíceis do passado, quando apanhava do irmão por fugir da escola para tocar violão. “Nasci em um lar ciumento”, explicou. Não tem um sertanejo que não gravou Roberta Miranda. (Roberta Miranda)

Roberta já vendeu 18 milhões de discos e é a terceira mulher a vender mais no Brasil, ficando atrás apenas da Xuxa e da cantora Maria Bethânia. “Única mulher que não era nem dupla, nem conjunto no mundo sertanejo”, ressaltou Ana Maria. No entanto, ela teve que enfrentar a família para seguir a carreira artística. “Eles queriam que eu fosse professora”, disse ela sobre o desejo, principalmente, dos três irmãos.

E um dos irmãos da cantora, o Marcelo, chegou a bater nela por não concordar com o seu sonho de ser cantora sertaneja. Roberta contou que apanhou muito quando ele soube que ela fugia da escola escondida para tocar violão com os amigos. “Ele descobriu e me castigou, me bateu bastante. Mas isso passou. Ele pediu perdão publicamente”, contou Roberta, que contou que também perdoou o irmão. Só que não teve jeito! A família viu que Roberta Miranda não estava de brincadeira. “No primeiro disco, quando a família percebeu que era o que eu queria, a paixão, eles se curvaram”, comentou a cantora, que comemora os 25 anos de carreira com o lançamento de um novo DVD. Nele, sucessos e a música “Maria”, que compôs em homenagem à mãe, quando tinha 16 anos.

A também compositora ainda falou do reconhecimento vindo de outros artistas. “Não tem um sertanejo que não gravou Roberta Miranda”, afirmou. Roberta contou que foi a primeira mulher a ter suas canções em novelas da TV Globo. E quando perguntada sobre as dificuldades enfrentadas pelas cantoras sertanejas hoje, ela falou sobre a realidade atual para Ana Maria. “É muito difícil. Você percebe que algumas artistas do sertanejo falam que é difícil, é um mundo machista. Imagina há 20 anos?”, comentou.

Roberta Miranda está de olho na saúde e de bem com a vida nos assuntos do amor. Há algum tempo, ela descobriu que era alérgica a certos alimentos e acabou emagrecendo com a ausência deles na alimentação. “Fiz alguns exames e descobri que sou alérgica a glúten e lactose. Em um ano e meio, consegui ‘enxugar’ 11 quilos, mas já recuperei cinco quilos”, contou. E quando Ana Maria perguntou se o coração da cantora “ia bem”, ela respondeu rápido. “Este coração é turbulência pura, já sofreu, agora ele está calmo. Mas é uma montanha-russa”, disse.

18/10/2013 - Paixão de fã que vai além da admiração
Fã cuiabana que adotou sobrenome de Roberta Miranda vai assistir show especial da cantora em São Paulo. Em Mato Grosso, quiçá no Brasil, não pode haver alguém tão ou mais fã da cantora e compositora Roberta Miranda que a cuiabana Cristina Miranda, 35 anos. Pelo nome pode se ter uma ideia. Ela adotou o sobrenome do ídolo e esqueceu-se da própria identidade, tudo em nome do amor, admiração e fascínio. Fundadora do primeiro fã clube de Roberta Miranda em Mato Grosso, há 16 anos, Cristina sabe tudo sobre a vida da cantora, tem todos os CDs e DVDs gravados e canta todas as músicas sem a ajuda de uma única anotação.

Na sede do fã clube ‘Sol da Minha Vida II’ (para tristeza dela já havia um com este nome no Brasil), em sua casa, Cristina Miranda guarda os CDs e DVDs, letras musicais, cartazes de shows, fotografias e tudo o que possa ser produzido para promover a carreira de Roberta Miranda. Hummm! Não pode faltar a referência aos seis posters autografados, e, claro, os dois LPs, raridades nos tempos atuais. De acordo com Cristina, a cantora tem 25 CDs gravados e 780 composições musicais, das quais gravou cerca de 400. A primeira música que compôs, relata a presidente do fã clube, foi aos 16 anos e recebeu o nome de ‘Maria’, escrita em homenagem à mãe.

Veja foto de Roberta Miranda com Maria Bethânia


Discografia
1986: Roberta Miranda - 750.000
1987: Volume 2 - 1.500.000
1989: Volume 3 - 1.300.000
1990: Volume 4 - 500.000
1990: Coletâneas
1992: Sol da Minha Vida - 250.000
1993: Volume 6 - 1.100.000
1994: Volume 7 - 1.000.000
1995: Volume 8 - 100.000
1996: Volume 9 - 100.000
1997: Vida - 250.000
1998: Paixão - 100.000
1999: Caminhos - 250.000
2000: A Majestade, O Sabiá Ao Vivo - 250.000
2001: Histórias de Amor - 100.000
2001: Tudo Isto É Fado
2002: Pele de Amor
2004: Alma Sertaneja
2005: Acústico Ao Vivo - 100.000
2008: Senhora Raiz
2010: Sorrir Faz a Vida Valer
2011: Boleros


A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

WZ

 
 
 
 
        Roberta Miranda        
• fechar janela •