Martha Rocha nasceu na cidade de Salvador, em 19 de setembro de 1936, com o nome de Maria Martha Hacker Rocha. Em 1954, se tornou a primeira Miss Brasil. Martha Rocha é a sétima filha do casal Álvaro e Hansa. Essa brasileira de cabelos dourados e olhos azuis sempre encantou a todos. Aos 18 anos, Martha participou do concurso Miss Bahia, venceu e logo após tornou-se Miss Brasil. Em julho de 1954, Martha chega aos Estados Unidos e pesquisas já a consideravam eleita a Miss Universo. Martha ficou em 2º lugar e diz a lenda que a perda do o título de Miss Universo para a americana Miriam Stevenson se deveu a duas polegadas a mais nos quadris.

A história das duas polegadas foi uma invenção de jornalista João Martins da Revista "O Cruzeiro" do Rio de Janeiro para consolar o orgulho brasileiro. Tudo foi combinado com os demais jornalistas brasileiros que estavam em Long Beach. A própria Martha autorizou a versão, conforme consta de sua autobiografia. Segundo Martha, "nem eu soube se essa história de duas polegadas teria sido verdade mesmo".

A real causa da vitória da americana foi que os juízes lhe deram o título máximo para reviver nos norte-americanos o interesse por essa competição de beleza, o qual estava em declínio. Esse desinteresse já levava os patrocinadores a ameaçar retirar os milhões que financiavam o concurso. Depois do concurso, Martha Rocha tornou-se referência nacional de beleza.

Marta conheceu estúdios Hollywoodianos, atores, atrizes e chegou a ganhar 30 mil dólares para fazer uma propaganda da Gessy Lever, uma empresa de cosméticos americana. A sua volta para o Brasil foi comemorada de todas as formas. Na Bahia foi recebida pelo governador da época, Régis Pacheco. Seguiu até o Palácio da Aclamação em um carro aberto e uma procissão a acompanhava. Milhares de pessoas queriam receber e dar carinho para a Miss Brasil.

Martha participou de campeonatos internacionais de cavalos ao lado da Rainha da Inglaterra, conheceu o príncipe Charles, entre outras celebridades. Era a pessoa mais requisitada em todos os eventos da cidade. Jantares, inaugurações, festas, em qualquer lugar Martha Rocha marcava presença. Até a penitenciária Frei Caneca, Martha visitou. A Miss ganhou a atenção do povo para Juscelino Kubitschek em uma varanda de hotel. Ela era a pessoa mais importante no cenário brasileiro na década de 50. Na mesma época conheceu Getúlio Vargas, frequentava a casa de Kubitschek e era amiga de Sara Kubitschek.

Em 1955, casou-se com o banqueiro Álvaro Piano e teve dois filhos. Em 1961 casou-se com Ronaldo Xavier de Lima e teve uma filha, residindo durante anos em majestosa cobertura duplex na Avenida Atlântica, em Copacabana. Em 2000, descobriu ser portadora de câncer de mama após assistir a uma reportagem televisiva sobre mutirões de saúde que promoviam o auto-exame. A partir daí, Martha passou a ter outro estilo de vida. Nessa época, ela se mudou do Rio para Volta Redonda, onde reside um de seus filhos. Em 2004, Martha foi homenageada com uma exposição itinerante de fotos de sua trajetória como Miss Brasil. Nesse ano, o concurso chegava ao seu 50º aniversário.

12/10/2009 - A vida de Martha Rocha, a eterna Miss Brasil, em Volta Redonda
No sentido literal, preciso, na medida exata: Martha, um dos mais cultuados símbolos de beleza do país no século 20, ficou em segundo lugar no Miss Universo de 1954, nos Estados Unidos, exatamente por ter duas polegadas a mais nos quadris do que permitia a lei do concurso. Tinha 18 anos na época. Os lírios, como atestou o genial Carlos Drummond de Andrade, não nascem mesmo das leis. O que era doce ênfase de encanto ao olhar de todo brasileiro foi considerado exagero, over, pelos jurados majoritariamente americanos.

Mesmo com o segundo lugar, Martha encontrou a glória. Ela frequentou as melhores e mais graduadas rodas. Trabalhou como modelo e garota propaganda em estúdios de Hollywood. E, no Brasil, gravou dois discos com um dos maiores furacões musicais do Brasil delicado daquela metade do século 20: a cantora Emilinha Borba. Martha recebeu mais uma homenagem importante. Ela gravou as mãos na Calçada da Fama de Ipanema, um projeto mantido pelo misto de livraria e ponto de encontros musicais Toca do Vinícius, no número 129 da célebre rua Vinícius de Moraes, quase esquina com Farme de Amoedo. Na República de Ipanema, claro. Fará companhia a figuras do quilate do compositor Braguinha, da cantora Maria Bethânia e dos craques Zico, Roberto Dinamite e Jairzinho, entre muitos outros.

Aos 23 anos, Martha ficou viúva do primeiro marido, o banqueiro argentino Álvaro Piano, morto num acidente de avião. Com ele, teve dois filhos: Álvaro, hoje com 50 anos, e Carlos Alberto, 49. A filha mais nova, Cláudia, 42, é fruto do segundo casamento, com Ronaldo Xavier de Lima. Hoje, vive afastada da agitação. Mora feliz em Volta Redonda, cidade do Vale do Paraíba fluminense às margens da Via Dutra, com 262 mil habitantes, distante 134 quilômetros do Rio e 280 quilômetros de São Paulo. O tempo é cruel para todos, mas sabe produzir exceções. Aos 73 anos, Martha Rocha ainda é beleza rara concentrada em 1,60 metro de altura.

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

WZ

 
 
 
 
        Marta Rocha        
• fechar janela •